segunda-feira, 12 de outubro de 2009

RESULTADOS ELEITORAIS


Resultados de Bustos para as Eleições Autárquicas de 11 de Outubro de 2009
*
Com estes resultados, o PS aumenta a sua votação em relação a 2005 e mantém um representante na Assembleia de Freguesia de Bustos, a Milu Aires.
Trata-se do 2º melhor resultado de sempre do PS local, desde a 1ª eleição para as autarquias locais (12/12/1976), altura em que teve 195 votos.
Relativamente a 2005, a percentagem de votos obtidos pelo PS passa de 8,86% para 10,25%.
Mantém-se a distribuição de mandatos na As. de Freguesia, que é a seguinte:
CDS: 4 mandatos
PSD: 4 mandatos

PS:   1 mandato

Este resultado significa que o PS fará a diferença na Assembleia de Freguesia.
E fará essa diferença pela positiva, ou seja: votará favoravelmente as propostas que defenderem os legítimos interesses de Bustos e recusará quaisquer iniciativas que não tenham em conta os valores que defendemos. Queremos Bustos em 1º!
A lista que se apresentou ao eleitorado sob a bandeira de BUSTOS EM 1º lutará por esse propósito.


Foto de Cipriano Nunes

Importa ainda registar que o PS elegeu um vereador para a Câmara Municipal, o prof. Henrique Tomás e aumentou a sua representação na Assembleia Municipal, de 2 para 3 deputados municipais (Armando Humberto, Acácio Oliveira e Rosalina Filipe).
Ainda assim, o PSD reforçou a sua maioria na Câmara (4 vereadores, contra 2 do CDS e 1 do PS) e conquistou a maioria na Assembleia Municipal, com os seguintes resultados:
PSD: 11 deputados eleitos + 3 Presidentes de Junta;
CDS: 7 deputados eleitos + 3 Pres. de Junta;
PS: 3 deputados eleitos.

O PS elegeu ainda 1 representante na Assembleia de Freguesia de Mamarrosa (Carlos Ferreira), 2 em Oliveira do Bairro (Arnaldo Pinheiro e Sérgio Martins) e 1 em Oiã (José Salavisa).
Como escrevi antes: paulatinamente, o PS vai-se afirmando em Oliveira do Bairro.
*

sábado, 10 de outubro de 2009

Hoje é dia de sonhar


["Saint-Exupéry - O Último Voo", de Hugo Pratt, Edições Meribérica Liber]





São rosas, Senhor...

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

O QUE QUEREMOS PARA BUSTOS

Nós, candidatas e candidatos da lista BUSTOS EM 1º, defendemos uma Freguesia virada para o futuro, assente na valorização da qualidade de vida das pessoas, na defesa do seu património natural e construído e no respeito pelos valores do ambiente.
São as seguintes as nossas propostas mais importantes:
A) Criação dum Centro Cultural, a instalar no antigo Centro Recreativo (salão de baile), que deve ser recuperado, tal qual existia, incluindo o antigo coreto no exterior;

Antigo Centro Recreativo

B) Início da construção do Bairro Económico do Cabeço, sucessivamente prometido e esquecido pela Junta e Câmara, desde há mais de 20 anos;
C) Recuperação dos Barreiros, como área de lazer;
D) Zona de lazer e pedonal na Vala do Sardo, ao longo da margem nascente da ribeira;
E) Preservação dos espaços naturais (vales, cursos de água, zonas húmidas);
F) Protocolos com o IPSB/Colégio Frei Gil, para partilha de espaços de desporto, cultura e doutras iniciativas abertas à população da Freguesia;
G) Criação dum Regulamento de Edificações e Construções, destinado a estabelecer os critérios de alargamento ou abertura de caminhos, construção de muros, poços e outras obras que interfiram com o direito de propriedade dos particulares.
- Defendemos ainda intervenções pontuais, por lugares da Freguesia (saneamento, águas, arborização dos espaços disponíveis e outras).

BUSTOS EM 1º: QUEM SOMOS
Somos um grupo de jovens, empenhados, com ideias novas, vontade e coragem.
Bustos pode e deve crescer, com qualidade de vida. Queremos contribuir para elevar a nossa freguesia ao 1º lugar, o lugar de onde nunca deveria ter saído.
Não pensamos só em nós, jovens, mas sim em toda a população, porque um dia seremos mais velhos e vamos querer ter essa qualidade de vida. Para isso acontecer, temos de pensar no amanhã.
É hoje que temos de agir, de começar a construir esse amanhã.
Queremos “Bustos em Primeiro”. Para isso, é preciso começar a erguer um património de que todos nos orgulhemos amanhã.
É preciso aprender com os erros do passado, como foi o da demolição da fachada e da torre da igreja velha.
Bustos precisa de espaços onde estejam representados a sua cultura, as suas tradições, os usos e os costumes de antigamente.
A Junta e a Assembleia de Freguesia precisam de mais diálogo e entendimento com a Câmara Municipal. Sem o apoio e adesão desta, Bustos não conseguirá desenvolver-se como merece.
Um Povo sem Memória
É um Povo sem História
*

Intervenções por Lugares da Freguesia

AZURVEIRA e BARREIRA
- Conclusão das redes de água e saneamento;
- Levar a iluminação pública a todas as áreas habitadas;
- Asfaltar os arruamentos das áreas habitadas;
- Recuperar a zona das lagoas dos Barreiros, como espaço de lazer e recreio.

BUSTOS
- Mais estacionamento no centro, em locais recuados;
- Requalificação da mal designada Avenida de S. Lourenço, com melhores passeios e sua arborização;
- Requalificação e dinamização do centro de Bustos, centrada na recuperação completa do Centro Recreativo, de Instrução e Beneficência (antigo salão de baile e cinema) e sua dinamização com iniciativas culturais e de lazer;
- Aplicação de calçada no piso da Rua 18 de Fevereiro, pelo menos entre os CTT e o entroncamento da Rua Jacinto dos Louros, enquanto centro histórico da Freguesia .

CABEÇO

Pormenor do terreno destinado ao Bairro Económico, visto da Rua do Marco
- Arranque da construção do Bairro Económico;
- Instalação das redes de água e saneamento;
- Requalificação das estradas e caminhos.


PICADA
- Alargar as redes de água e saneamento;
- Requalificação urgente da rua que liga à Barreira e sua arborização. Tal como a R. da Fonte, a R. Gregório Hernandez regista um apreciável crescimento de habitações unifamiliares, mas sem qualquer sentido urbanístico.

PÓVOA
- Separador no cruzamento das ruas que seguem para os Fornos e Vala do Sardo;
- Melhoramento dos caminhos e estradas e recuperação do lavadouro;
- Completar as redes de água e saneamento.

QUINTA NOVA e COLADAS
- Lombas ou semáforos no cruzamento da R. 18 de Fevereiro para as Coladas e Póvoa;
- Valorizar o espaço do fontenário e lavadouro público, como memória de usos e costumes.

SOBREIRO
- Intervenção urbanística no terreno da feira e envolvente, bem como na área entre o Colégio e a R. do Sobreiro;
- Aquisição do terreno da feira;
- Campo de futebol no terreno adquirido para o efeito;
- Estacionamentos na área do Colégio, com alargamento das ruas na frente do mesmo e criação de passeios amplos e espaços verdes;
- Requalificação da Rua de S. João e seus prolongamentos.
*
IDEIAS TODA A GENTE TEM.
O DIFÍCIL É SABER PÔ-LAS EM PRÁTICA
.

(João Pedreiras - candidato de Bustos em 1º)

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Bairro Económico do Cabeço: texto de apoio

O BUSTOS EM 1º passou a ter um sítio de apoio, destinado aos textos ou intervenções que, pela sua natureza ou extensão, mereçam um tratamento autónomo.
O 1º texto publicado nesse blogue de apoio (OUTRAS RAÍZES) narra o atribulado percurso do Bairro Económico do Cabeço.
E pode ser consultado através da barra lateral, em "Ligações", ou clicando aqui.
Tal texto não especula, antes se limita a narrar factos.
*
Entretanto, o desdobrável com as propostas da candidatura saíu hoje da tipografia, esperando-se o início da sua distribuição para amanhã.

Naturalmente, tais propostas serão também dadas a conhecer neste blogue. 
*
o padrinho

terça-feira, 29 de setembro de 2009

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO

No próximo sábado, pelas 21 horas, terá lugar uma sessão de apresentação e de esclarecimento da lista de BUSTOS EM 1º.
A sessão terá lugar na Escola Primária de Bustos.
A candidatura, apresentada sob a bandeira do Partido Socialista, aproveitará para dar a conhecer as suas propostas para Bustos.
Estarão ainda presentes os candidatos à Câmara e Assembleia Municipais.
É um direito, mas também um dever cívico, assistir e participar nessa sessão.

Sem desprimor para as outras freguesias do concelho, quem é o Bustuense (nascido, criado ou residido na freguesia) que não deseja o melhor para a sua Terra?
Quem não ambiciona ver Bustos regressar ao prestígio de outros tempos?

Antigo Centro Recreativo, de Instrução e Beneficência
(Foto do Notícias de Bustos)

Quem não deseja beneficiar de mais e melhor qualidade de vida?
Vamos confinar-nos ao cimento armado, ao vazio de ofertas culturais e de lazer?
Ou vamos criar espaços e tomar iniciativas que cativem os residentes, atraindo-os, em vez de os empurrarmos para os centros urbanos?

Que soluções estão ao nosso alcance?

É necessário procurar respostas e conseguir consensos. Abrir portas para o futuro.

Participe!
Participa!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Eleições legislativas: prenúncio de mudança?

Os resultados das eleições legislativas em Bustos estão disponíveis no blogue Notícias de Bustos, onde podem ser consultados, algures por aqui.
Foram resultados que abrem réstias de luz à candidatura do BUSTOS EM 1º.
A campanha para as eleições autárquicas tem início hoje, 2ª feira e termina no dia 9 de Outubro, já que o sábado anterior ao dia das eleições é de reflexão. Reflexão é o que se pede às e aos Bustuenses:
Será tempo de mudar? Ou a mudança não faz falta e, mais uma vez, vamos insistir no "vira o disco e toca o mesmo"?
As duas candidaturas que tradicionalmente dividem o poder em Bustos prometem mudança, inovação.
Percebe-se porquê: pouco foi o que mudaram em Bustos. As desculpas são as do costume:
- Ou não fizeram mais porque a Câmara era da outra côr (como se em 4 anos fosse possível fazer o que não fizeram em 16 (dezasseis!).
- Ou fez-se muito em 16 anos, embora ninguém note  nada de diferente, marcante ou inovador. De facto, não se vislumbram obras e iniciativas em Bustos que não tivessem sido realizadas nas outras 5 freguesias do concelho. Com uma diferença muito grande: Bustos ficou sempre em último lugar. Como disse um dia na Assembleia Municipal, Bustos foi sempre uma espécie de Kosovo, de sudoeste asiático do concelho.
Guardo comigo uns números interessantes relativamente ao que se fez em Bustos e nas outras freguesias durante os últimos 20 anos. Disse números, dados concretos e objectivos. Não disse palpites, atoardas, ou falsidades, algumas absolutamente asquerosas e indignas de gente da mesma terra e civilizada.
Objectividade é valor que tem faltado durante a campanha do porta a porta e das pequenas sessões de "esclarecimento".
A candidatura do BUSTOS EM 1º ainda não iniciou a sua campanha de apresentação de propostas, tendo-se limitado aos cartazes de rua, aliás, inovadores e com sentido do colectivo, de que uma comunidade não se desenvolve às cavalitas dum qualquer salvador da pátria, mas dum trabalho conjunto e interdisciplinar.
A explicação do aparente silêncio é simples: a equipa (felizmente...) não obedece a uma estrutura partidária, embora tenha o apoio incondicional do PS concelhio. Mas isso não vai impedir o BUSTOS EM 1º de dar a conhecer às e aos Bustuenses um conjunto de propostas que muito contribuirão para colocar Bustos em 1º.
Um aviso à navegação: ao contrário das outras candidaturas, a do BUSTOS EM 1º não promete mundos e fundos; não irá garantir que vai fazer aquilo que todos sabem que nunca será feito.
Aliás, a Junta de Freguesia de Bustos não tem capacidade financeira ou técnica para fazer o que quer que seja, salvo ao nível da gestão dos recursos do dia a dia.
Cabe à Junta e à Assembleia de Freguesia de Bustos apresentarem propostas credíveis e que possam ser levadas à prática. Mas cabe-lhes, sobretudo, envolver a Câmara e a Assembleia Municipal nessas propostas.
Ora isso não aconteceu durante o consulado de Acílio Gala, apesar de Junta e Câmara vestirem as mesma camisola partidária. E se esse envolvimento também não aconteceu durante os últimos 4 anos foi porque os autarcas de Bustos não souberem lidar com as regras da diversidade democrática. Explicando melhor:

Durante 16 anos, o umbigo do anterior Presidente da Câmara foi mais importante que o do congénere de Bustos. 
Durante estes últimos 4, deu para perceber na Assembleia Municipal que os umbigos pertenciam a criaturas de mundos diferentes, até antagónicos, quiçá competitivos.

Por isso se pede reflexão às Gentes de Bustos durante estas duas semanas de campanha eleitoral para as eleições locais (Assembleia de Freguesia, Câmara e Assembleia Municipais). 
Mais se pede ponderação, fechando os olhos  e ouvidos à propaganda e abrindo-os, para  ver e ouvir melhor as propostas sérias dos candidatos e das candidaturas.

E ousar também é preciso.
Ousar mudar. Ousar acreditar.

Acreditar em BUSTOS EM 1º!

o padrinho

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

OS CARTAZES DO PADRINHO: O 1º DOS JOVENS POR BUSTOS


Este é o 1º cartaz, com parte da equipa do BUSTOS EM 1º.
Foi oferecido pelo padrinho grande. Ou seja, pelo padrinho do nosso padrinho.
Estamos à espera que o padrinho grande também ofereça os outros, que são mais cinco, além dos cinco que já estão na rua.
E esperamos reunir mais gente que faz parte da nossa lista, porque nós somos todos importantes. Até aqueles que não acreditam em nós e preferem o "viró disco e toca o mesmo".
E somos todos importantes, porque somos todos bustuenses.
E todos queremos o melhor para a nossa Terra.

Para a semana, as nossas propostas serão dadas a conhecer às (aos) bustuenses. Altura em que iremos aproveitar para nos apresentarmos oficialmente.

Assim, de olhos bem levantados.

o padrinho pequeno

domingo, 20 de setembro de 2009

Diário de campanha: os preliminares e a vigarice. Ou o prometido é de vidro

Os candidatos do BUSTOS EM 1º voltaram a reunir ontem, em casa do padrinho, pois claro.
Milu Francisco, João Pedreiras, Sara Portovedo, Beto Oliveira, Fernando Silva, Henrique Oliveira e Sérgio Pato. Alguns dos primeiros e outros tantos dos últimos, formando uma espécie de núcleo duro, que trata por igual cada um, sem olhar à sua posição na lista.

Enquanto a equipa ia ultimando o programa que apresentará às bustuenese e aos bustuenses, aproveitei para me dedicar à agricultura e para dar uma volta pela freguesia,  a saber como iam correndo as vindimas. Mas disto darei conta no bloguedooscar.
A grande preocupação da candidatura do BUSTOS EM 1º é apresentar propostas exequíveis e que correspondam a necessidades reais da população; mas é também a de procurar pôr Bustos no mapa do desenvolvimento, da cultura e do entretenimento.


Evolução da população do concelho.
Fonte: Carta Educativa [clicar nas imagens para ampliar]

É preciso acabar com esta modorra, sacudir os bustuenses do torpor, do adormecimento.
O trabalho duma equipa que pretende fazer política duma forma séria e honesta não passa por prometer o que não irá cumprir.
Para a equipa perceber melhor este mundo sujo da política, puz-lhes à frente os programas de há 4 anos. A resposta não tardou: ao darem uma volta pelo programa da lista que ganhou em 2005 por escassos 94 votos, depararam-se com 8 páginas de promessas. Nem mais, nem menos: oito páginas de promessas mil! E muitas certezas no meio das promessas: aquisição do terreno da feira (*), urbanização de vários recintos, apoio à construção de habitações às famílias mais carenciadas, recuperação dos barreiros, novo parque desportivo...
De pasmar!
Então a promessa da construção do Bairro Económico do Cabeço, essa não falhou, apesar de ser promessa que já constava de eleições anteriores. Há 4 anos (as eleições foram a 9 de Outubro), quando a campanha já estava na rua, até andou por lá uma máquina a terraplanar, dando a entender que dessa vez é que o bairro avançava.

Desta vez, têm andado homens e máquinas de volta do parque de lazer nas traseiras da Casa da Freguesia. Até um campo de mini golfe lá está, certamente para a malta descansar o corpo e a mente das agruras da vida burguesa que levamos. Deve saber bem, entre os trabalhos do campo ou da fábrica. Cá por mim, já convidei a Rosa Grande, que mora ali mesmo ao lado, para jogar mini golfe comigo...

De 4 em 4 anos a vigarice política assenta arraiais: promete-se tudo, incluindo os costumeiros tachos e benesses! A técnica é simples: o grupo de políticos/candidatos chega à porta da casa de alguém e, na ânsia de sacar o precioso voto, toca a prometer mais alcatrão, mais muros, murinhos e muretes, parques e centros de lazer, urbanizações para os especuladores, saneamento à porta, luz a jorros, acessos exclusivos a sítios que pertencem à comunidade (caso dos carreiros ou atravessadouros). É só pedir por boca!


Pedinte Basilius, na Feira Nedieval de Bustos - 6 e 7 de Junho de 2007.
Este pedinte rege-se pelos princípios que constam da tábua ao lado.
Os pedintes políticos preferem a tábua rasa.

A vergonha continua. Este ano temos mais do mesmo, fruto do desespero duns quantos.
Será que não acaba mais o "viró disco e toca o mesmo"?
Será que os eleitores/cidadãos não abrem os olhos?
Seremos masoquistas, a ponto de adorarmos ser vigarizados?
E a alma bustuense, onde pára?
Onde param os valores dos nossos antepassados, dos Pioneiros de Bustos?

Cabe às candidatas e candidatos do BUSTOS EM 1º atirar uma grande pedrada neste charco político. E acabar com a promiscuidade, com a pouca vergonha.
É isso que elas e eles prometem.
Essa é a maior promessa do BUSTOS EM 1º!

O padrinho assume,

***
(*) É BOM NÃO ESQUECER: o anterior Presidente da Câmara [o tal que quer ir para o 5º mandado depois de 4 anos de repouso e choruda indemnização para compensar o "tempo perdido"] deixou ir embora a compra da feira por uns míseros 10.000 contos de diferença. 
Era a feira de Bustos, não era a do Troviscal, ou mesmo de outra freguesia do concelho.
Bustos que se lixe, Bustos que espere, parece ter sido o lema durante anos a fio.
*
- A imagem das promessas foi adaptada do BLOG DA MARY, em
http://maryvillano.blogspot.com/2008/08/promessas-promessassempre-mesma-coisa.html. Aquele abraço.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O padrinho volta a atacar

Outros afazeres têm impedido o nosso padrinho de se dedicar mais ao BUSTOS EM 1º.
Consta até que ele andará a preparar a poção mágica que há-de derrotar os invasores romanos.
Entretanto e porque o assunto também diz respeito aos candidatos do BUSTOS EM 1º (ou a alguém dentre eles), é de recomendar a leitura dum post editado hoje no bloguedooscar. A ligação também se encontra na barra lateral direita, na lista de blogues de Bustos.

domingo, 13 de setembro de 2009

Mais primeiros do 1º

Finalmente, terminou a colocação das estruturas que receberam os 1ºs cartazes (lonas) do BUSTOS EM 1º.
  
O padrinho, o afilhado, o guru e o Manelzito que é meu amigo
Trata-se da 1ª fase do trabalho de grandes cartazes daquele grupo de bustuenses que está em primeiro:
1º - Nos boletins de voto para a Assembleia de Freguesia de Bustos, Assembleia Municipal e Câmara Municipal;
2º - Nas primeiras iniciativas que conduzirão à partilha colectiva dos projectos que defendem para Bustos. 
A ousadia, o sentido prático e útil, a entrega e o empenhamento, são o lema desta gente grande de Bustos.
Há uma coisa que não querem: mais do mesmo. O tal "viró-disco-e-toca-o-mesmo", ou seja, o rotativismo. 
Rotativismo que vem permitindo a quem tem estado no poder (à vez) mandar contra tudo e contra todos, de olhos tapados e orelhas moucas. É certo que por vezes distribuindo palmadinhas pelas costas.
Há uma coisa que distingue esta equipa de bustuenses jovens: a diferença pela positiva, a tolerância, a vontade de aprender, de perceber melhor o mundo à volta.
A vontade de pôr em prática soluções de que a nossa Aldeia precisa, mas que sejam viáveis e exequíveis.
Como me dizia o João Pedreiras, o guru do grupo, lá do alto dos seus inteligentíssimos 19 anos:
"Ideias toda a gente tem!
É preciso é saber po-las em prática!"
Palavras para quê?
Ficam as imagens dum trabalho de rua limpo e feito com gosto. 
E muito gozo.
E boa noite.
Eu vou com as aves do mar.
*
Com a benção do 
padrinho

sábado, 12 de setembro de 2009

Apresentação das listas concelhias do PS: a 1ª de 3

Henrique Tomás e, à esquerda, o filho João Tomás, mandatário para a juventude

Aconteceu ontem ao fim da tarde, numa das salas do Hotel Paraíso, bem no centro de Oliveira do Bairro, a apresentação das listas dos candidatos do Partido Socialista às Assembleias de Freguesia, Assembleia Municipal e Câmara Municipal.
A apresentação foi a prova provada da excelência dos candidatos às eleições locais de 11 de Outubro próximo.
Dúvidas não existem: as candidatas e os candidatos que se apresentam sob a bandeira do PS - na sua quase totalidade independentes e sem quaisquer laços com o partido - fazem mesmo a diferença!

Cabeças de lista das 6 freguesias: Milu Francisco (Bustos), Carlos Ferreira (Mamarrosa), José Salavisa (Oiã), Arnaldo Pinheiro (Oliveira do Bairro), Maria Cristina Santos (Palhaça) e Rosalina Filipe (2ª pelo Troviscal)
 
Pela ordem inversa das apresentações e deixando para um terceiro texto a apresentação, pela Milu (BUSTOS EM 1º), das candidaturas das seis freguesias do concelho, abordaremos hoje a intervenção do  cabeça de lista à Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, prof. HENRIQUE TOMÁS.
Importa realçar da sua intervenção os seguintes pontos:

Com o nosso desempenho na vida concelhia, e, também, na Assembleia Municipal, demonstrámos de uma forma clara, decisiva e com grande sentido de responsabilidade, a razão da nossa contribuição para o equilíbrio fundamental na escolha das grandes opções para o desenvolvimento do concelho;
Porque somos, de longe, aqueles que, à frente das associações e, sobretudo, das instituições de solidariedade social, mais têm contribuído, com desprendido empenho, para o bem-estar das pessoas do concelho;
Porque, além de todas as nossas capacidades já demonstradas, focamos sempre o nosso empenho e a nossa dedicação nos interesses dos nossos concidadãos e não em vaidades competitivas pessoais e/ou partidárias.
Nós FAZEMOS A DIFERENÇA!!

Queremos mobilizar vontades e energias que contribuam criativamente para o progresso e desenvolvimento do concelho, porque entendemos que, para além das naturais divergências político-partidárias, a nossa terra necessita da participação de todos na persecução de programas e objectivos que conduzam à melhor e maior qualidade de vida dos seus cidadãos.

 Armando Humberto, o 1º da Assembleia Municipal
O nosso Henrique Tomás, uma referência no desporto, no ensino e no sentido da solidariedade e da partilha, debruçou-se de seguida sobre pontos concretos do seu programa eleitoral, como bem expôs:

EDUCAÇÃO/DESPORTO – Promoção da construção da Escola Profissional da Bairrada com parceria pedagógica com a Escola Secundária: accionaremos medidas concretas de agilização do projecto; Apoio a todas as escolas nas vertentes dos transportes, equipamentos, prática desportiva; Promoção e apoio do Desporto Escolar e Associativo (Formação): Organização de campeonatos concelhios (várias modalidades) no 1º ciclo; Criação de um Pólo Desportivo, com pavilhão e piscina aquecida, para servir as populações (famílias e escolas) das freguesias a poente do concelho – Troviscal, Mamarrosa e Bustos -; Construção de um relvado sintético em cada sede de freguesia.

POLÍTICA SOCIAL/SAÚDE – Acentuaremos o reforço das políticas sociais apoiando, de uma forma generosa e intensa, equipamentos e instituições sociais destinados a idosos, deficientes e crianças (creches). Apoiaremos a construção do novo lar para idosos, com residencial para deficientes, de Oiã - obra comparticipada pelos fundos europeus. Criação da figura do Provedor(a) do Idoso (complemento solidário para idosos). Pressionaremos no sentido de serem melhoradas as condições do Centro de Saúde e das suas extensões nas freguesias.

CULTURA/RECREAÇÃO – Conceber e aplicar acções de dinamização da Biblioteca Municipal e dos Pólos de Leitura; Promover estratégias de divulgação do património cultural do concelho, nomeadamente do Museu de Etnomúsica, Museu da Palhaça e Instituto de Educação e Cidadania da Mamarrosa; Promoção de actividades culturais, lúdicas e recreativo/pedagógicas para idosos e crianças.

REDE VIÁRIA – Tomada de medidas concretas para diminuição da sinistralidade nas estradas do concelho – rotundas, passadeiras elevadas, semáforos, etc.; Conclusão da via rápida Aveiro – Malaposta; Construção de uma via de ligação rápida entre a zona industrial da Palhaça e a zona industrial de Oiã e a A1.

URBANISMO – Avançar com a construção da Alameda; Requalificação dos Centros da cidade e das vilas/sede de freguesia; Estabelecimento de protocolos com as Juntas de Freguesia.

ECONOMIA/INDÚSTRIA/AGRICULTURA – Criação de incentivos de implantação e fixação de novas empresas no concelho; Alargamento, requalificação e arranjo urbanístico dos parques industriais; Estabelecimento de parcerias com os municípios adjacentes e associações ligadas à produção agro-alimentar para divulgação a nível regional e nacional dos produtos de marca Bairrada (vinhos, kiwi, legumes, etc.) para além da nossa gastronomia tradicional.

SERVIÇOS – Modernização tecnológica dos serviços municipais; Criação de um gabinete para a oposição em moldes a estudar.

… Aos jovens sugiro-lhes que sejam ambiciosos, alargando sempre o campo de visão do seu futuro. E rebeldes, não se deixando, nunca, arrebanhar por uma ou outra interesseira onda colorida: sejam vocês próprios, com personalidade escolham o vosso caminho.
– Façam a Diferença!

Aos menos jovens peço-lhes que, conscientemente, analisem com serenidade e independência as vantagens de sermos parte integrante da gestão do município e só depois façam a sua escolha.

Todos juntos FAZEMOS A DIFERENÇA!
__
- Nota pessoal: a diferença começa num candidato à Câmara Municipal que ousou ser o 1º a dar antecipadamente a conhecer linhas concretas do seu programa eleitoral. Sem medos, repudiando estratégias feitas de silêncios, tabus e jogos de bastidores. 
Com franqueza e frontalidade. 
Partilhando o que não lhe pertence e de que apenas é porta-voz. 
Partilhando o que pertence ao POVO a quem temos de prestar contas e a quem devemos frontalidade, lealdade, mãos e coração limpos.

Os candidatos do PS estão mesmo em 1º!
*
o padrinho

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Nemátodo: você conhece-o?

Enquanto o núcleo duro das(os) candidatas(os) se divide entre o trabalho e o estudo, nalguns casos bem longe de Bustos, coube-me a tarefa de acompanhar e dar testemunho das questões ambientais, com especial enfoque no coberto vegetal.
O BUSTOS EM 1º quer sensibilizar a comunidade local, alertando-a sobre os perigos que espreitam e põem em perigo o seu pacato dia-a-dia, com reflexos indesejáveis na qualidade de vida de cada um de nós.
Como vamos sobre meios e factores de produção?
A colheita de vinho, que é dela, que não vejo nem ouço os ruidosos tractores a passar aqui à porta, nem carregados, nem vazios de uvas?
E os tradicionais alambiques? Que é feito dos estridentes e apelativos apitos? Da bagaceira a 1º e 5/8 Tessa ou 52,50º Centígrada ou 20º Cartier, consoante a região vinhateira? (1)
E que coisa é essa do nemátodo, que só o fogo da mão criminosa do homem parece eliminar?
Eu explico:
O nemátodo da madeira do pinheiro não passa dum verme microscópico do grupo das lombrigas, que ataca preferencialmente pinheiros e outras árvores resinosas.
O nemátodo é transmitido às árvores por um insecto, o longicórnio (2) do pinheiro, o qual se encarrega de dispersar a ignóbil lombriguinha, entre Abril e Outubro, antes dos frios o forçarem a esconder-se, hibernar, calçar as pantufas.

Você conhece-o?
Você confia no primaveril insecto?

Pois o BUSTOS EM 1º conhece-o bem e tem a solução.
Provando mais uma vez que está sempre em primeiro, o BUSTOS EM 1º ensina-vos a combater o insecto, mandando a lombriguinha para aquele sítio lá longe, de onde nunca devia ter saído.
Ai o nemátodo adora roer a alma dos pinheiros? Ai é um guloso pela resina?
Já que é isso, o BUSTOS EM 1º encontrou o remédio, o milongo da Angola das saudades mil e das mortes poucas, graças adeus até ao meu regresso:
Durante os próximos fins de semana, a malta nova em idade de trabalhar no duro, de dar o litro pela comunidade, só tem de munir-se da machada cortadeira e da tradicional tigela de barro (nada de modernices de plástico!) e toca a marchar sobre os pinhais da nossa aldeia, em alegres ranchos, ordeiros e disciplinados [Também podem ir todos ao molho, desde que não se baldem à divina missão de acabar com o nemátodo].
Aí chegados, é só ir aplicando o corte na casca de cada pinheiro e aguardar que a resina escorra para dentro das tigelas.
Esmifremos a resina a cada pinheiro, sem dó nem piedade!
Ai eles comem tudo
e não deixam nada?
Ai eles julgam-se uns papões?
A resina! Acabemos com a resina-enfarta-lombrigas!

A resina tem outros usos, outros caminhares.
Outras vantagens. Outras mais-valias.
Outro futuro.

O que faz falta é juntar a resina em grandes bidões e fazê-la descer ao povoado!
O que faz falta é distribuí-la pela malta!
O que faz falta é animar a malta!

O padrinho
______
(1) Extraído de apontamentos do Curso Intensivo de Vinificação, tirado na Estação Vitivinícula da Beira Litoral / Anadia, entre 31 de Agosto e 5 de Setembro de 1981.
(2) Os longicórnios são conhecidos pela sua longevidade e parece não haver quem os convença a reformar-se.
*
- "Proteja o seu pinhal contra o nemátodo - Campanha Nacional de Sensibilização". Pequeno desdobrável editado pelo Ministério da Agricultura do Desenvolvimento Rural e das Pescas - Autoridade Florestal Nacional, com o apoio do IFAP - Fundo Florestal Permanente e das Organizações de Produtores Florestal  / Dep. Legal283277/2008 - 100.000 exemplares.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

De como BUSTOS começa a estar em 1º

A apresentação pública das listas de candidatos do Partido Socialista de Oliveira do Bairro terá lugar da próxima 6ª feira, dia 11, pelas 18H30, numa das salas do Hotel Paraíso, bem no centro de Oliveira do Bairro.
Os pormenores da sessão de apresentação foram decididos ontem à noite em reunião do núcleo duro do PS concelhio, por sinal, sem que estivesse presente qualquer representante ou delegado da lista de Bustos. Nem o humilde autor destas linhas esteve presente, facto que não é de estranhar...
Tal ausência não impede o BUSTOS EM 1º de anunciar urbi et orbi que, além do candidato à Câmara Municipal (Henrique Santiago Tomás) e à Assembleia Municipal (Armando Humberto Nolasco Pinto), usará ainda da palavra um único representante de todas as listas de candidatos a cada uma das seis freguesias do concelho.
E nem mais: a cabeça de lista da candidatura à Assembleia de Freguesia de Bustos (Milu Francisco Aires) foi a escolhida para apresentar e representar as seis candidaturas às assembleias de freguesia do concelho!
Ou seja: o PS concelhio reconheceu a importância da candidatura do BUSTOS EM 1º.
É caso para dizer: embora sem ter uma qualquer posição de mando relativamente à lista de jovens bustuenses que abraçou a causa do BUSTOS EM 1º, o PS concelhio reconheceu a importância desta candidatura.
Mas, sobretudo, reconheceu que vivemos tempos de MUDANÇA:
Nas mentalidades, desde logo. Mas também no modo como os políticos e os aparelhos partidários – tradicionalmente conservadores e avessos às grandes mudanças e até à própria irreverência – começaram a olhar para o presente/futuro que nos desafia.
É preciso olhar para a causa e para a coisa públicas com novos olhares.
Olhares atentos.
Olhares de afectos e de partilha.
Olhares abertos, límpidos. Sobretudo, limpos da sujidade (sujeira, chamam-lhe os brasileiros) que há demasiados anos embacia e deforma o sentido da visão dum mundo que nos chama para novos e aliciantes caminhares.
É caso para citar o texto do oscardebustos no bloguedooscar e que podem linkar aqui:
O padrinho

terça-feira, 8 de setembro de 2009

A Política local, a mentalidade das formigas carreiristas e o apelo à mudança

“Os gregos antigos ( tipos sagazes e destemidos (…) chamavam idiotés ao indivíduo que não se metia em política; a palavra significava pessoa isolada, sem nada para oferecer aos restantes, obcecada pelas pequenas coisas de ordem doméstica e, afinal de contas, manipulada por toda a gente. ”

Fernando Savater, Política para um Jovem, Lisboa Presença, 1993


Não é preciso explicar o que hoje significa a palavra idiota. Não sejas, pois, idiota! A política implica um acordo com os demais. Implica estabelecer a mudança - alimentada pelo sonho e a dedicação – para criar sinergias capazes de fazer a diferença.

Primeiro, é o olhar de desconfiança. A raiz da política local está estruturada no hábito e na mesma idade. A mentalidade dos “velhos do Restelo” impera e ameaça amuralhar a mudança que representamos. A mudança incomoda e a juventude também.

É tempo de olhar analiticamente a freguesia que fomos (determinada, corajosa, alimentada por ideais), a freguesia que somos (anquilosada no tempo, sem ideias ou ideais) e a freguesia que podemos ser e construir.

Em política, como sagazmente escreveu Albert Camus, “ são os meios que devem justificar os fins”, não como tem sido apanágio, os meios que têm vindo a ser usados pela política local, justificam que escolham a mudança. A juventude tem como horizonte a obra factível, a cultura e o bem-estar social.

Maria Pacóvia

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

VÍDEO DE EMBALAR

Bustos tem muito para descobrir.
E muito mais para resolver.

sábado, 5 de setembro de 2009

A referência, a mentalidade, o apelo e a ameaça...

“formiga no carreiro [tem andado] em sentido contrário”. A imagem faz todo o sentido para definir a política local que tem vindo a ser praticada na nossa comunidade. Contudo, apesar das muitas esperanças perdidas e de uma acção política inconsequente, é tempo de alicerçar uma política no bem comum, na história local e no desenvolvimento da comunidade bustuense.

É tempo de dizer não ao carreirismo dos usuais políticos locais, sempre tão inclinados para fazer o mesmo, mudar para o igual e continuar o habitual (pouco ou nada), desculpando-se que a falta de dinheiro nada permitir fazer. As nossas pessoas têm o Reizinho na Barriga, e pensam ser sempre os melhores e estar junto dos melhores e são todos os melhores, mas no final mudam as caras mudam os reizinhos, mudam as moscas, mas só o que devia mudar é que não muda...

Somos o que se vê e constatamos que só mudamos quando se deixar de olhar para as glórias do passado com saudosismos e nos congregarmos para construir um futuro sustentado no trabalho colectivo, na vontade de agir para mudar. Urge fazer, não pensar fazer. Sermos formigas a trabalhar para uma cultura política com vontade de dizer e fazer Bustos do futuro e com futuro para todos.
Bustos carece tanto de infra-estruturas como de mudança de mentalidade. Não temais a mudança e a união ainda faz a força... Não só de ideias vive o homem. Ter ideias não basta. É imperioso sentarmo-nos à mesma mesa, ter ideais compartilhados, menos alimentados pelos ideários dos partidos do que pela sinergia dos nossos esforços conjugados em prol de Bustos.

Bustos em 1.º é mais do que um slogan. É o símbolo da nossa determinação de construir uma mudança significativa e com significado, visto representarmos uma cultura política cimentada na realidade, destituída de utopias.

E se nada fizermos para mudar seremos uma colectividade de “velhos do Restelo” com pouco mais que umas memórias penduradas em estruturas gastas pelo acção do tempo, incúria pelo bem público, falta de carinho, desprezo pelo mudança e menosprezo pela cultura. O passado remoto dos homens que construíram e modelaram Bustos é exemplo a seguir. As formigas que do passado recente devem continuar no caminho dos que querem construir um Bustos de referência.
Nós não olhamos a meios para conseguir os fins. Somos um meio, isso sim, para restituir a Bustos a vitalidade perdida, instaurar o orgulho na comunidade que somos.

João Pedreiras

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

terça-feira, 1 de setembro de 2009

BUSTOS EM 1º: o gesto é tudo

Dois gestos marcaram o aparecimento da lista de candidatos pelo PS à Assembleia de Freguesia de Bustos:
1º - A argolada de dois partidos e dos seus aparelhos, que quase ia deixando sem representação local uma força política que, ao nível do concelho, é mais do que uma charneira: é uma referência, respeitada e desejada por quem nos conhece de perto.
2º - O gesto simbólico e formal do sorteio ocorrido na sala de audiências dos Juízos de Oliveira do Bairro da Comarca do Baixo Vouga: calhou em sortes que o PS ficasse em 1º lugar nos três boletins de voto para as Autárquicas de 11 de Outubro (As. de Freguesia, As. Municipal e Câmara).
O 2º gesto

Estes dois gestos desencadearam um 3º, que não imaginava pudesse tocar-me, ainda por cima na pele de padrinho: no turbilhão do derradeiro fim-de-semana anterior a 17 de Agosto, eis que surge do nada um verdadeiro exército de jovens a oferecer-se para fazer a diferença. Mais um dia tivéssemos para trabalhar a lista e o exército engrossaria até perder de vista!
O que pretendiam e pretendem esses jovens da terra?
- Demonstrar aos (às) Bustuenses que têm projectos, ideias e que defendem valores decisivos para recolocar Bustos no mapa, para pôr Bustos em 1º.
- Arrumar de vez com o método estafado e mil vezes repetido de fazer e viver a política.
- Acabar com a pantomineirice do costume: prometer o que não se vai cumprir e prometer também o que os próprios se esqueceram de cumprir nos mandatos anteriores.

Esta gente nova, informada e sabedora do que está mal e do que faz falta fazer, quer intervir.
Quer e merece ocupar o lugar duma geração que se recusa a ir embora. Duma geração cheia de maus hábitos, de vícios, de exercícios de estilo e de maneirismos de que devia envergonhar-se. Da geração do "viró disco e toca o mesmo".
Há uns anos, um famoso comentador político acusou os jovens de pertencerem a uma "geração rasca". Falei disso AQUI e volto a assinar por baixo.
Ao que contrário do que muitos (ainda) pensam, esta gente jovem e bem formada vai demonstrar que pertence a uma geração de ouro.

A uma geração que quer BUSTOS EM 1º!
__

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Quem somos nós, candidatos à Assembleia de Freguesia


O BUSTOS EM 1º apresenta a lista completa dos candidatos à eleição para a Assembleia de Freguesia de Bustos.
Aceitámos candidatar-nos sob a bandeira do Partido Socialista na condição de mantermos a nossa independência.
Respeitamos os partidos, mas a nossa luta não é partidária.
Só conhecemos uma bandeira: a bandeira da Freguesia.
*
Efectivos:

1 – Maria de Lurdes Sequeira dos Santos Francisco Aires; 47 anos, doméstica, R. 18 de Fevereiro, 118 (Independente)
2 – Diana Liberal Guedes: 24 anos, psicóloga, R. Luís de Camões, 7 (Independente).
3 – João Nuno Duarte Pedreiras; 19 anos, R. da Picada, 10 (Independente)
4 – Sara Tavares Santos; 25 anos, gestora de hotelaria, R. do Cabeço, 94 (Independente)
5 – Andreia da Silva Martins de Oliveira; 21 anos, estudante de Finanças, R. Dr. José Gregório Hernandez, 17 (Independente)
6 – Bruno Miguel Pato Pereira; 28 anos, licenciado em engenharia mecânica e gestão industrial, R. da Fonte, 2 (Independente)
7 – Elsa Maria Vilar dos Santos; 42 anos, vendedora, R. Dr. José Gregório Hernandez, 51 (Independente)
8 – Sara Filipa Ferreira Portovedo; 22 anos, licenciada em sociologia, R. do Coval, 9 (indicada pelo PS)
9 – Humberto Domingues Oliveira; 25 anos, estudante universitário, R. 18 de Fevereiro, 116 (Independente)

Suplentes:

1 – Clifton Rodrigues Gala; 25 anos, enfermeiro, R. de S. João, 4 (Independente).
2 – Gina Maria Ferreira da Silva; 52 anos, esteticista, Av. S. Lourenço, 13 (Independente).
3 – Lúcia Maria Rodrigues de Oliveira Luzio; 47 anos, auxiliar de acção médica, R. Cabo do Aido, 6, r/c (Independente).
4 – João Maria Alves; 65 anos, aposentado, R. do Cabeço, 95 (Independente).
5 – Jorge Humberto Santos Reis Pedreiras; 49 anos, empresário agrícola, R. da Póvoa, 17 (Independente).
6 – Dina Eugénia Reis da Costa; 59 anos, assistente social, R. Silva Ferreira, 8, cave, centro, Coimbra (Independente).
7 – Fernando Manuel da Silva; 59 anos, construtor civil de acabamentos, R. Manuel Francisco Rei, 11 (Independente).
8 – Dorinda da Silva Vieira dos Reis; 58 anos, médica, R do Sobreiro, 99 (Independente).
9 – Henrique Manuel Pereira de Oliveira; 52 anos, operário fabril, R. da Rainha, 77 (proposto pelo PS).
10 – Maria de Lurdes da Cunha; 72 anos, doméstica, R. N.ª Senhora das Necessidades, 23 (Independente).
11 – Sérgio Simões Pato; 46 anos, auxiliar de acção educativa, R. da Fonte, 4 (Independente).
12 – Vítor Manuel da Silva Carvalho; 45 anos, canalizador, R. do Arneirinho, 19 (Independente).